segunda-feira, 24 de janeiro de 2011


Passageiro da Vida
   (Neyde Noronha)


Quem és tu, passageiro da vida

 
que preenches a solidão dos
outros,

 
prometes, não te comprometes,

 
assumistes como justificativa o 
passado.

 
 

 
Tu sabes ser feliz,

 
ajudas e foges 

 
em passos lentos,

 
silenciosos, como a noite de
dor.

 
 

 
Emudece ou falante

 
quando queres 

 
Passageiro  da vida

 
Caminhas...

 
 

 
Deixastes lastros duvidosos,

 
sentimentos puros

 
mas estranhos.

 
Um principe, que vi chegar

 
 

 
Ventos sopraram

 
levaram meus sonhos

 
o teu agasalho ficou,

 
na  infinita praia.

 
 

 
 Chegou o dia da solidão

 
ao lado de um rochedo 

 
um cálice de vinho tinto na
mão,

 
na  areia cinzenta.

 
Escreves:

 
-"Estou só, passei, mas  não
trouxe

 
ninguém comigo".

 
 

 
*****
                                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário