domingo, 27 de junho de 2010

Art by Guillermo Manrique

Saí da tua vida

Neyde Noronha

Porque tanto tempo de espera

quando a saudade apertava,

enquanto falava dela.

Por simples instantes juntos

Falo hoje da saudade

Que me invadia a alma

Hoje é assunto desgastado.

Se penso em ti, troco de lugar no assento de minha sala,

na minha cama, no meu recanto.

Tantas ausências, reclamo!

Falo daquela boa impressão que tive

do anseio de te tocar

Da impressão que senti em tê-lo

Da esperança que existia...

Talvez a única dor foi quando te disse palavras

que tentavam disfarçar minha revolta

Compreendes que o meu desencanto me fez ousar

Tola, envergonhada,

Soube do teu perdão...

O meu sorriso é certo,

os meus olhos não saudam a tua presença

Não choram lágrimas tristes

Não insistem em chorar

Prefiro assim:

Confortar-me em sentir

o meu coração em paz

Para Amar,

Amar, amar...






Um comentário:

  1. Teu blog é muito lindo, poemas e sentimentos universais, foi um grande prazer ler alguns poemas, Com certeza voltarei....abração!

    ResponderExcluir