sábado, 9 de junho de 2007


Doce Remanso

Encanto do meu coração
Antes abraçavas minha alma.
Por onde andas agora?
Se a natureza é a mesma!
Porque tu me abandonastes?
Tu não és mais o meu meigo remanso

Não sei mais o teu nome
Apenas a certeza
De que estas no teu leito de paz
Luz, Crepúsculo

Tão manso no horizonte
Desenha o teu espaço permanente
No coração dos amantes
Doce remanso
Linha do horizonte
Pedaço de mim
Desenho o teu contorno

Deixo fluir as tuas cores
Virei regar-te todos os dias
Todas as manhãs
Chorarei tuas lembranças

Traga-me o teu manto
Estou com frio.
Deixa-me um cobertor

Se não posso ter felicidade
Mata a saudade que tenho em mim

(Neyde Noronha)

Nenhum comentário:

Postar um comentário