segunda-feira, 23 de maio de 2016

Dom 21:50-22/5/2016
Estou sendo considerada uma mulher a margem da sociedade, só gosto mesmo da Lealdade, detesto fingimento, agressividade verbal, mesmo ouvindo ou falando quando não se está perto.
Amadureci aos 70 anos e vou fazer este ano 75,tarde demais porque levei muita cabeçada, mas nunca bati com a cabeça na parede, ergui o meu olhar de perdão, mas sou abençoada por esquecer de quem me maltrata- Nome e telefone, tudo.
Não me importo que me achem feia, velha, doente, não sou assim, sou uma pessoa que só viu e sentiu ingratidões, só pensou  o bem quando era mau, que vestiu sedas e rendas porque era moda e podia ser luxuosa. Hoje sou casual, não gosto de artifícios,  não sou melhor do que ninguém. Já  me roubaram muito e não guardo o passado nos objetos, não guardo os objetos que herdei, comprei novos para mim para reviver.  Não uso joias, porque ofendem as minhas lembranças.
Fui  roubada incessantemente depois dos meus 19 anos, não quero é que me matem a sangue frio, porque já estão me matando não só verbalmente como nos ideais ambiciosos de quem pensa que ter pouco não vale nada. Conservo o que tenho para deixar bem, sabendo que tudo vai para o ralo. 
Aliás, hoje ouvi que não vou viver muito, até nisso eu acredito, cercada de gente falsa, jamais gostaria de viver com gente assim.

                                                                             

..






















Nenhum comentário:

Postar um comentário