segunda-feira, 28 de maio de 2012

Meus Sais
(Neyde Noronha)

Ligo sim,
Por que tenho amigos
São poucos
Mas, leais comigo

Não mudei
Faço a minha própria diferença
Apenas, amadureci
Sou guerreira
Há mais de vinte anos
Somados aos que não vivi.

Transtornei-me
Até  apaixonei-me, outra vez
Mas estou ficando velha
Não vivi o quanto desejo

Quero mais
Para ver melhoras
Sentir as horas passarem
Olhar para mim
Dizer para outros
Que o meu sorriso é franco

Conselhos podem dar
Recebê-los, aceito
Com lógicas!
"Estou na beira da estrada
Mas não estou podre nem bichada
Não sou aquela massa,
Nem aquela maçã!"

Me importo em ser feliz
Usando o sorriso
A lealdade
Muitas lágrimas para aliviar

Até mesmo o deprée
De vez em quando
Choro, até as gargalhadas
Ter estes hábitos
Assim tão naturais
São os meus sais...

2 comentários:

  1. Parabéns pelos versos e pelo conteúdo tão sincero,
    franco, desnudado. Nós amadurecemos e nos tornamos mais honestos, mais bondosos e inteligentes. Que bom que o tempo não passou em vão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antonio Machado amigo e colega de pinturas, você é um amigo constante neste blog e acredito atento a outros. Portanto meu querido amigo que de tempos em tempos vêm me oferecer gotas de carinho e amizade. Muito obrigado amigo. Neyde

      Excluir