sábado, 31 de março de 2012


Pintura Neyde Noronha- Óleo sobre tela. Adquirido pela empresa FLORENSE

Isidro Beleza
À deriva

Uma vela rasgada
Um mar agitado
Nuvens no horizonte
Um olhar desolado
Um barco à deriva
Sem rumo e sem norte
Uma prece sentida
Um desejo de sorte...
Às ondas revoltas
Ciciam-se palavras soltas
No vento que passa...
Não há terra à vista 
Não há mão que afague
A tristeza que existe
Nem chama que apague
A fé que resiste
Ao desespero, à solidão
Àquele mar
À imensidão...
E fez-se dia!
Pela janela o sol espreitou
E me acordou...
Estremeci...
E ao ver-te ali
De felicdade... sorri.

(Isidro Beleza)

Nenhum comentário:

Postar um comentário