quarta-feira, 28 de setembro de 2011

                                             Cores para dizer que te amo
                                                                Abstration-1950-De Konning      
                                                                   
                                                                  (Neyde Noronha) 
 Encontrei no azul a cor dos seus olhos
 cores que se misturam como nós em nossos lençóis, 
quando os nossos corpos se entrelaçam. 

A serenidade e a paz estão descritas na cor luminosa do carmim, envolvida com um pouco de violeta, ao mesmo tempo de amarelo limão e branca. 
Dentro de um círculo, a cor verde me fala de esperança, sentimento de quando pintava 
 É o Amor.  
Mas a esperança dentro de um círculo se mostra presa a uma dúvida qualquer. 


Azul-cobalto com um pouco de turquesa e cerúlea se encontraram com a branca.
" Assim como nós nos encontramos nos nossos sonhos".


Círculos e mais círculos, se jogam como os infantes
- Lembram  crianças conhecendo  seus corpos,  seus sexo. 


Adultos desenham um círculo como forma da concretização do que sentem
 - O prazer. 


O Artista, sugere um quadrado informal azul celeste que me faz lembrar, mais uma vez, a cor dos seus olhos.
Procuro uma foto sua, mas a sua ausência me cala,
 procuro a música também, como companheira.

Sempre a sonhar com o dia de amanhã e uma promessa feita a mim.

De Konning, o Artista
- Suas obras conheço algumas, são inovadoras aquelas que vi. 
 Gosto tanto delas como gosto de mim, porque são coloridas. 


Nas palavras tento criar para te dizer alguma coisa,  dizer que te amo.
Porque só consigo criar quando estou amando ou sofrendo.
Pós- Sofrimento nada faço a não ser deixar passar o tempo para esquecer. 


Nesta pequena pausa vou descansar
Para amanhã voltar a pensar em ti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário