terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Verdade
(Neyde Noronha)

O amor ausente
que no infinito partiu
Pintora de telas
nostálgica emoção

Restam destroços
largados no jardim
Parte de sonhos desfeitos
e melancolias sem paz.

Procura sem alcance
Dor e clamor
Busca da verdade
que se escondeu

Se o mundo reconhece
o riso triste desta mulher.
Tua presença
jamais será aconchego
Mesmo que já esteja perto,
que a procure,
que a liberte da solidão.

Aquela tela crua,
personagem de um sonho.
já em cena, coadjuvante,
esboço de obras passadas,
está morta.

Coloriu o mundo.
Manifestou sua vontade,
Medíocre verdade
de quem viveu para esperar,
mas que te esqueceu.


(A partir de uma tela de autoria de
Neyde Noronha
Movimento Escultural/ Óleo sobre tela/1992)

2 comentários:

  1. Cara Neyde , prezada.
    Bela surpresa te encontrar e muito bonitas as imagens mostradas com letras e tintas!
    Um bom abraço.

    ResponderExcluir
  2. Vim para deixar um FELIZ NATAL e um grande ANO NOVO a ti e a todos aqueles que teu coração abriga.
    BOAS FESTAS!!!!

    ResponderExcluir