quarta-feira, 2 de junho de 2010

Incenso


O incenso tem a incumbência de levar a prece para o céu e seu uso é
universal, associando o homem à divindade, o finito ao infinito, o
mortal ao imortal. Relacionado com o elemento ar, representa a percepção
da consciência que está presente em toda parte. Os diferentes
perfumes desempenham um papel de purificação, facilitando inclusive, a
aproximação do nosso anjo guardião.
Quando queimamos um incenso, modificamos nosso estado emocional
e as vibrações do ambiente. Alguns aromas despertam-nos a força interna,
agindo como estimulantes, podendo nos tirar de um estado de desânimo e
cansaço; outros, facilitam o estudo ou despertam a inspiração; e muitos,
auxiliam na meditação. Durante a queima, são liberadas substâncias
provenientes do amálgama alquímico, com a propriedade de dissolver os
miasmas negativos, assim como promover a sintonia com o astral.
É muito agradável às pessoas evoluídas, e, ao contrário, pode aborrecer
aqueles que não estão na mesma sintonia. Contribui decisivamente para o
recolhimento devocional e o estudo. Reforça a tonicidade áurica,
ajudando na obtenção da paz, sentimento de amor e prosperidade.
Como aproveitar integralmente o bastão de incenso:
· Antes de acendê-lo: exponha-o uma hora no seu ambiente doméstico
ou de trabalho.
· Após a queima: as substâncias que permaneceram nas cinzas
dinamizadas pelo fogo, podem ser colocadas na palma da mão e assopradas
ao vento.
Componentes do incenso:
· Carvão: absorvente universal, capta as baixas vibrações do
ambiente para que seja neutralizada pelo sal grosso e incinerados a
seguir.
· Sal grosso: Atua como esterilizador de emissões maléficas do
sentimento humano.
Conhecer os aromas e os efeitos obtidos do incenso
Monica Buonfiglio

Nenhum comentário:

Postar um comentário