terça-feira, 24 de março de 2009



O segredo
(Neyde Noronha)

Sessenta minutos
Poucos dias
Sonhos em demasia
Vida avessa
Quando só é solidão
Viver é coração

Sentir mas se perder
No instante
Na desigualdade
Na contínua incerteza
Perder o que já estava perdido
Na obsessão de sonhar
O impossível
Chega ao seu momento final
Sentido
Vivido
Tão claro
Mas desigual

Um comentário:

  1. Neyde,você escreve com a alma...Que lindo...é sublime!

    Beijos.

    ResponderExcluir