sábado, 28 de abril de 2007

A sombra de um poeta

Uma sombra segue o Poeta
Que não consegue desfazer
A marca de uma dor
E o ferimento
Que ainda dói
Visão que se apagou
Quando chora
Não pode
E nem quer ver
O brilho da própria luz.
Tuas feridas já são nossas

Estás no coração de todos
Dos astros, das estrelas
Tão perto de ti
Eles tentam acordar-te!

Poeta mais triste do que eu
Não consegue fingir
Não és artista
Porquê?
Não sabes mentir

Sombra, te afasta
Do nosso poeta
Da dor que sente
Até que as cicatrizes, se curem
Para sempre.

*****

Nenhum comentário:

Postar um comentário